• Higor Salles | Canal 8

Campinas: 246 anos geram gratidão e esperança


Foto: Danilo Braga

No centro de Campinas, os 246 anos da cidade foram usados para elogiar a mais nova metrópole brasileira, mas também para reconhecer o momento difícil, principalmente para quem sente diretamente os reflexos do surto de covid-19.

Em uma manhã chuvosa, usando máscaras para conter o contágio, moradores e trabalhadores listaram os sentimentos surgidos quando questionados sobre o aniversário de um dos mais importantes municípios do interior do Brasil.

Teresa Becaro mora há 50 anos em Campinas. Já Eric Gonçalves, há um ano. Ambos falam das dificuldades e problemas, antigos ou não, mas comparam as situações com outras regiões e dizem ter motivos para esperar por melhorias.

“A minha vida inteira foi aqui em Campinas e eu não trocaria isso por nada. Eu amo Campinas”, disse a dona de uma banca de jornais. “O comércio caiu 80%, mas a cidade é boa e não posso desistir”, comenta o vendedor de café e salgados.

Mesmo quem não mora mais na cidade, mas escreveu parte da história no local, explica o que sente. Christiane Carmona Scardone vive atualmente nem Londres, na Inglaterra, e diz ser grata pelo que Campinas a ofereceu e ensinou.

“Foi a cidade onde tive meus filhos, que cresceram sorrindo e alegres. Teve muito choro também, claro. Mas foi onde aprendi muito. Aliás, a maioria das coisas que sei. Por isso Campinas vai estar pra sempre no meu coração”, conta.

Campinas não mexe somente com os sentimentos, mas também gera reconhecimento por ser polo científico, tecnológico, acadêmico e econômico. A fama do município é grande em outras partes da região, do estado e do país.

Eliana Amâncio mora em Americana e visita os shoppings da cidade que dá nome à região metropolitana. Bruno Francisco mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, e pede mais reconhecimento ao local onde nasceu e cresceu.

“A gente tá aqui do lado e usa Campinas pelo comércio maravilhoso”, relata ela. “As pessoas me chamem de louco por trocar uma cidade do interior com essência de capital pra morar em uma capital com essência de interior”, diz ele.

O comentário de Bruno reflete o resultado da pesquisa Regiões de Influência das Cidades do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, divulgada em junho e que colocou Campinas como única metrópole que não é capital.

Outras cidades reclassificadas no levantamento foram Vitória e Florianópolis, capitais do Espírito Santo e de Santa Catarina, respectivamente. A população campineira estimada até o no passado é de 1.204.073 pessoas.


Fonte: CBN Campinas

0 visualização0 comentário