• Higor Salles | Canal 8

Educação vai reduzir salas do EJA em Barão Geraldo

O curso de EJA (Educação de Jovens e Adultos) da Escola do Guará terá 50% das salas fechadas em 2020; esta é a única unidade do distrito a oferecer a modalidade

Emef Dulce Bento Nascimento, no bairro Guará, terá salas do EJA reduzidas

A Secretaria de Educação de Campinas vai reduzir duas das quatro salas do curso de EJA (Educação de Jovens e Adultos) da Emef Dulce Bento Nascimento, no bairro Guará, no distrito de Barão Geraldo. Está é a única unidade que mantém a oferta dos anos finais do Ensino Fundamental na modalidade EJA no distrito.

A proposta da Secretaria de Educação é que a escola trabalhe com duas salas multisseriadas em 2020 (classes que têm mais de um série no mesmo espaço): 1º e 2º termos; 3º e 4º termos. Segundo o Conselho Local da unidade, a proposta vai trazer prejuízo ao sistema pedagógico.

"Teremos menos professores dedicados à construção de um projeto pedagógico que contemple as especificidades do público jovem e adulto. Acreditamos que a qualidade do curso que ofertamos está diretamente relacionada com a não rotatividade do corpo docente. Além disso, o quadro histórico da chegada de alunos projeta números excessivos de alunos para as duas salas, o que comprometeria o acolhimento da diversidade das bagagens culturais e das demandas formativas dos alunos", disse a nota oficial.

O número de matriculados, segundo o Sistema Integre - Gestão Integrada da Rede de Ensino, tem crescido desde 2017. No primeiro semestre daquele ano foram 79. No ano seguinte, foram 81 matriculados e neste ano 92 alunos para participar do EJA.

Procurada, a Secretaria de Educação informou que o que ocorrerá a partir de 2020 é uma reorganização das salas da EJA (Educação de Jovens e Adulto), na Emef Dulce Bento Nascimento, no bairro Guará, por conta da baixa demanda. A escola tem capacidade para 120 alunos e tem 33 matriculados. Logo, atende apenas 27,5% da capacidade.

"A série histórica revela a manutenção do perfil de matrículas em números compatíveis com um atendimento adequado das especificidades das demandas formativas do público da EJA. Esses números são semelhantes àqueles encontrados nos cursos de EJA de várias outras unidades de nossa Rede. Há uma tradicional queda nos números nos segundos semestres, uma vez que a procura pela escola é maior no início do ano letivo", continuou o conselho.

A Prefeitura rebateu e informou que "Desta forma, buscando aperfeiçoar os recursos, os alunos continuarão a ser atendidos na mesma escola, no entanto, em classes multisseriadas (classes que tem mais de um série no mesmo espaço) como já acontece em outras escolas municipais", disse a nota.


Fonte: Acidade ON

1 visualização0 comentário